[Resenha] As Memórias Perdidas de Jane Austen, de Syrie James

Continuando nossa enrolação completamente contrária à ordem estabelecida, resolvi trazer duas resenhas para vocês essa semana, para compensar semana passada, quando não tivemos nenhuma. Prometo que semana que vem voltaremos à nossa programação normal.

Como boa fã contumaz de Jane Austen que sempre fui, assim que soube do lançamento desse livro fiquei morrendo de vontade de pôr minhas mãozinhas nele. Apesar disso, tentando me manter fiel ao meu projeto (mesmo quando peguei um exemplar nas mãos na livraria e quase tive um ataque cardíaco), eu consegui me segurar. E vocês não podem imaginar minha alegria quando recebi pelos correios um presente de amigo oculto e, quando abri a caixa, dei de cara com esse título.


Para quem não conhece, As memórias perdidas de Jane Austen é um romance de ficção escrito por Syrie James que conta a história de um suposto relacionamento amoroso que a inglesa haveria tido alguns anos antes de sua morte.

Jane Austen, como eu espero que todos saibam, é uma autora inglesa que viveu entre 1775 e 1817 e faleceu, aos 41 anos, deixando para nós uma incrível obra de 6 romances completos e um inacabado. É fato notório que a autora nunca se casou nem formou nenhuma família própria, vivendo com a irmã e a mãe até sua morte.

O livro, apesar de fictício, parte de alguns fatos documentados da vida de Jane, como cartas, viagens e mudanças, e cria um romance que poderia muito bem ter acontecido.

Syrie mistura personagens reais com inventados e cria suas cenas e personagens a partir de cenas e personagens dos livros de Jane Austen. Vi gente reclamando que o livro de alguma forma "diminuiu" a figura da autora sugerindo que todos os fatos e personagens criados por ela teriam sido inspirados em sua vida. Eu discordo dessa opinião; em primeiro lugar, porque o livro é ficcional. Em segundo lugar porque nós sempre somos um pouco influenciados pelas personalidades que nos rodeiam na hora de criar nossos personagens. Estou plenamente convencida de que alguém que tivesse vivido isolado por toda a vida seria incapaz de criar personalidades críveis.

Além disso, eu achei que grande parte do brilhantismo no livro está realmente no fato de que a autora fez o caminho inverso: quando todos buscamos referências na realidade para tentar criar a ficção, Syrie buscou referências na ficção para tentar se aproximar o máximo possível da realidade de Jane Austen. É possível traçar vários paralelos com todas as obras da autora/personagem (e por isso eu considero importante que o leitor esteja familiarizado com essas obras), porém eu considerei o resultado final bastante original.

O livro é todo escrito em primeira pessoa, na forma realmente de memórias, o que difere dos romances da Jane, escritos em terceira. Em outros aspectos, a Syrie buscou e conseguiu muito bem se aproximar do estilo de escrita de Jane Austen, a um ponto que não fica nem um pouco difícil acreditar que ela realmente poderia ter escrito tudo aquilo.

A leitura é absurdamente rápida, exatamente como nos livros de Jane, o que, infelizmente, ajudou com que eu acabasse a leitura muito antes do que eu gostaria (por mim, continuaria lendo para sempre).

As personagens principais são extremamente apaixonantes e, assim como aconteceu com o Sr. Darcy (de 'Orgulho e Preconceito'), eu também criei uma afeição muito forte pelo Sr. Ashford. Inclusive, existem diversos paralelos entre esses dois cavalheiros, apenas de o último incorporar diversos elementos de vários outros personagens masculinos da obra de Austen. A Jane, em si, incorpora também vários elementos de diversas das personagens femininas (desde Elizabeth Bennet até Marianne Dashwood), o que criou um misto bem complexo de paixão e racionalidade que eu aprovei bastante.

Além de tudo isso, ainda gostei muito de algumas surprezinhas que a autora escondeu em meio às páginas, como a aparição especial de Sir Walter Scott.

Resumindo, tanto em linhas gerais quanto particulares, eu adorei esse livro. Mas obviamente sou suspeita para falar, porque já me confessei amante de Jane Austen. A capa é uma das mais lindas que eu já vi e tem um toque acetinado (que tem se tornado muito comum em livros ultimamente) delicioso. As páginas são amareladas e a diagramação é simples, mas adorável. Nós somos ainda brindados com uma árvore genealógica extremamente informativa (e relevante para a leitura do livro) e de um mapa retratando a Inglaterra da época, que ajuda o leitor a se ambientar.

Merece crédito também por ter me feito chorar igual a uma bobona no meio do ônibus quando finalmente cheguei às últimas páginas.

Como minha opinião pode ser um pouco viciada, gostaria muito de ouvir os comentários de vocês. Alguém já leu?

Título original: The Lost Memoirs of Jane Austen
Autora: Syrie James
País: EUA
Editora: Record
Páginas: 320
Ano: 2007

3 comentários:

  1. Paloma, estou lendo maravilhas sobre o livro. Também sou fã da Jane, então estou muito curiosa!

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Passando pra avisar que deixei uma tag pra você lá no blog.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/2013/09/tag-2-liebster-award.html#comment-form

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto muito da Jane Austen! Bom saber que o livro ficou bacana, também achei a capa linda ♥

    Hey, estou lendo a coleção Os Bridgertons, da Julia Quinn, e tem bem o estilo da Jane Austen. Talvez você curta :)

    Beijo ♥

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir